14 de novembro de 2017

8 golpes mais comuns no Egito

Não é segredo para ninguém que a viagem que fizemos para o Egito foi cheia de contrastes: monumentos incríveis e, ao mesmo tempo, muita decepção com os egípcios e o país de um modo geral. Já até desabafei neste artigo que fiz assim que cheguei de viagem. Apesar de tudo, não há como não se encantar por tudo de incrível que existe por lá e, se para você também é um sonho conhecer as pirâmides e os templos egípcios, vá, mas vá muito bem preparado – é o conselho que te dou. O post de hoje é justamente para te ajudar a se precaver contra os golpes mais comuns que percebemos por lá. Leia atentamente:

  • Perfumes e essências egípcias

Ao chegar no Egito, seu guia irá lhe falar sobre os perfumes e essências egípcias que, segundo ele, claro, são as melhores do mundo. A proposta lhe soará tentadora, ainda mais porque ele vai dizer, muito provavelmente, que o vendedor de perfumes irá “ler a sua aura”, “interpretar a sua personalidade” e qualquer outra coisa que te faça acreditar que esse é o passeio mais incrível e único da vida. Não é. Fomos levados a uma loja de perfumes e tivemos mais decepções e prejuízos que satisfações. A única parte legal foi ouvir sobre as essências e a parte cultural e histórica relacionada a elas; todo o resto era bullshit. E olha que eu me considero uma pessoa super crédula, juro. O vendedor chegou a me mostrar, em um dado momento, a essência do “Angel – Thierry Mugler” afirmando com convicção que era “Paloma Picasso”. Ah, por favor, né? Logo para cima do meu nariz-focinho? Final do passeio: compramos 2 essências por 70 dólares e que, ao contrário do que ele afirmou, não são puras, já que hoje em dia não possuem o mesmo cheiro ou fixação. Quer ir numa loja de perfumes egípcios? Vá, mas não diga que eu não avisei…

perfumes egípcios golpes

Perfumes e essências egípcias em Cairo. Foto: arquivo pessoal

  • Jóias de cartucho

Cartucho é um símbolo com uma forma oblonga, rematado por um traço, onde se escrevia o nome de um faraó do Egito Antigo. Hoje, você irá ver centenas de representações de cartuchos nos templos e também no pescoço de turistas desavisados – como nós. Provavelmente também o seu guia irá lhe apresentar essa maravigold opção de souvenir do Egito: um cartucho com o seu nome, feito em ouro, prata ou outro metal, para você se sentir o próprio faraó do deserto! A ideia, confesso, é muito bacana. O preço também é bom (cerca de 10 dólares cada correntinha com 1 cartucho personalizado em prata), mas o problema foi comprar um cartucho de prata e perceber, meses depois, que ele está oxidado na sua caixa de jóias, ou seja, prata?! Portanto, a lição que fica das jóias de cartucho é: quer levar esse souvenir pra casa? Então procure pessoalmente uma joalheria séria para produzi-la para você. Infelizmente, não dá para confiar que o produto final será o mesmo da encomenda se fizer por outro meio.

cartucho egípcio souvenir egito golpes

Meu cartucho oxidado. Foto: arquivo pessoal

  • Algodão egípcio

O algodão egípcio de várias centenas de fios é conhecido no mundo inteiro pela sua qualidade superior. Disso ninguém discorda. O problema é, estando no Egito, encontrar o verdadeiro algodão egípcio a um preço equivalente ao valor real de mercado local. Nem chegamos a comprar algodão egípcio por lá, mas deixo aqui o alerta, já que essa também é uma forma comum de golpe por lá, seja pelo preço abusivo ou pela má qualidade do produto.

  • Papiro

O papiro é uma folha para escrever ou pintar feita da folha de uma planta de mesmo nome (Cyperus papyrus), largamente encontrada no Egito. Há vários lugares em que você pode comprar papiro e também lojas específicas que te mostrarão todo o processo de fabricação do papiro até como ele é pintado e vendido aos turistas. Nós tivemos a oportunidade de visitar uma loja dessas e gostamos muito! Acompanhamos toda a explicação e, no final, escolhemos um pequeno papiro para trazer para casa. Pagamos um preço muito justo (depois de negociar, claro) e não sofremos golpe algum. Mas por que eu coloquei isso aqui, então? Porque uma amiga esteve no Egito meses atrás e sofreu um MEGA golpe na loja do papiro, pagando valores realmente absurdos, ou seja, fique esperto! E se lembre que no Egito é tudo muito barato, então pague o preço que é justo.

papiro egito cairo fabricação

Na loja que compramos o nosso papiro (3 Pyramids Papyrus Institute). Demonstração de fabricação de papiro a partir do papirus. Foto: arquivo pessoal

  • Gorjeta

Gorjetas são comuns no Egito, o que é, na minha opinião, péssimo. Para tudo você terá que dar gorjeta: para os guias, motoristas, funcionários do hotel, garçom… Eu sei que gorjetas não são exclusividade do país, mas não deixa de ser desagradável, especialmente porque você vai contratar uma agência de turismo, pagar um bom valor para que seja tudo organizado por eles, mas mesmo assim terá que dar gorjetas todos os dias para várias pessoas, inclusive para os funcionários daquela empresa. Isso independente da empresa que você escolha, já que é algo cultural do país, portanto, não é exatamente um golpe, apenas uma característica que, de novo, na minha opinião, é muito fastidiosa. Coloquei aqui para que você tenha isso em mente ao viajar para lá.

motorista egito gorjeta

Olha a pose do nosso motorista egípcio! HAHA. Claro, ao final, mesmo já tendo acertado quanto ele receberia, tivemos que dar uma gorjeta. Foto: arquivo pessoal

  • Táxi

Quer garantia de que irá sofrer um golpe no Egito? Pegue um táxi! Na única ocasião durante a viagem inteira que tivemos que pegar um táxi sofremos um golpe. Estávamos no hotel em Hurghada e pedimos um táxi para o aeroporto. O taxista ficou dando mil voltas inúteis e perguntamos para ele por quê ele tava fazendo isso, já que estávamos com o gps em mãos e podíamos acompanhar a rota que ele deveria estar fazendo. Ele discutia com a gente que a outra pista estava bloqueada e outras mil desculpas esfarrapadas. A gota d’água chegou quando ele virou errado uma última vez, sendo que já estávamos atrasados para o voo, e marido, como eu nunca tinha visto na vida, começou a gritar feio e bravo com ele. O cara finalmente nos levou para o aeroporto e cobrou uma fortuna para isso, porque, claro, não há taxímetro, né? Táxis no Egito: não peguem! A melhor opção é Uber, caso precise se locomover sem a agência de turismo. Veja mais sobre os Transportes no Egito.

  • Barganha

A barganha é comum no mundo árabe. Não se compra quase nada sem ter que barganhar, o que pode ser muito vantajoso, se você tiver paciência e jeito, ou um martírio, quando você não tem as duas qualidades citadas anteriormente. Eu não gosto de barganhar, mas faço porque é necessário. No Egito, então, MUITO necessário, já que eles cobrarão preços super abusivos na primeira vez que você perguntar quanto custa e, se você pagar logo de cara, estará levando um golpe daqueles. O chato de barganhar no Egito é ter que negociar com egípcio, que é um povo difícil, os vendedores de lá são os mais insistentes que já vi na vida e o assédio aos turistas é demasiado. Portanto, caso queira comprar algo (e provavelmente irá, não tenha dúvidas), respire fundo e barganhe muito. O ideal é que você pague 30% do valor inicial que o vendedor pediu. Boa sorte!

negociar barganhar egito

Loja de artigos de pedras em Luxor, Egito. Em todos os lugares, não se esqueça, negocie muito! Foto: arquivo pessoal

  • Fotos

No Egito, é tanto golpe para todos os lados que até em relação às fotos você pode levar um! Em vários templos, tumbas e nas pirâmides não é permitido fotografar em seus interiores. Para mim, regra imposta, regra obedecida. Mas, para os egípcios, que deveriam estar tomando conta dos monumentos, essa é uma oportunidade de ganhar um dinheirinho extra. Eles se aproximarão de você, te levarão para um canto mais escondido e perguntarão, sem muitos rodeios, se você deseja fotografar o lugar e, óbvio, pagá-los por isso. Eu achei um abuso e me recusei a fazer parte dessa corrupção (pense a respeito disso também; foto você pode encontrar no Google). Outra forma que eles arranjaram para ganhar um dinheiro extra é te chamar para tirar foto com eles (ou com os camelos) e, no final, pedir um troco. Durante a nossa visita à pirâmide inclinada, eu tirei uma foto com o senhorzinho que fica na entrada do monumento e no final demos um trocado pra ele. Mas foi porque eu quis; e você pode decidir tirar a foto com eles ou não.

pirâmide inclinada entrada egito

Egípcio na entrada da pirâmide inclinada. Pediu para tirar foto mas cobrou no final. Foto: arquivo pessoal

***

Espero que aproveitem as dicas desse post! Leia também os outros artigos do Egito que já publicamos no blog. Beijo grande e até a próxima.

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • Natácia novembro 14, 2017

    Parece mesmo ser uma viagem legal, mas ao mesmo tempo muito estressante, pois você não consegue usufruir das belezas do local diante da pressão de não sofrer golpes.

    • Pollyane
      Pollyane novembro 15, 2017

      É exatamente isso que se passa o tempo todo e, sim, é muito desgastante. Se não tivesse tanta coisa bonita, interessante e única para ver no país, diria que nem vale ir pra lá… Tem que avaliar se vale a pena passar todas essas raivas para conhecer umas das obras mais fantásticas da humanidade. E aí? kkkkkk