01 de janeiro de 2019

Babymoon nas Maldivas

Em junho de 2018, embarcamos para uma das viagens mais esperadas e programadas até hoje: as Maldivas!

Esse arquipélago, localizado no Oceano Índico, não muito longe daqui, é provavelmente um dos destinos de viagem mais desejados do mundo! Independente do tipo de viagem que você goste de fazer, duvido que nunca se imaginou (especialmente depois de um dia cansativo de trabalho) naquelas pequenas ilhas de areias brancas, águas turquesas e hotéis surpreendentes.

Já posso te confirmar: é tão maravilhoso e surreal quanto você imagina.

ilha maldivas

A ilha do nosso resort nas Maldivas parecia um sonho: passávamos pelas árvores e nos deparávamos com um mar tão azul que doía os olhos! Foto: arquivo pessoal

Como chegar às Maldivas

Quem está no Brasil deve pegar no mínimo 2 voos para chegar a Malé, capital das Maldivas. Apesar de o país ter uma localização remota, no meio do oceano, perto da Índia, é até fácil chegar, já que muitos países aqui da região possuem voos diários para lá. Uma rota, por exemplo, é ir de São Paulo ou do Rio de Janeiro a Dubai e depois pegar outro voo direto para as Maldivas. Mais rápido que chegar na Tailândia ou Camboja.

Como falei, há várias opções de voos diretos para Malé, o que não quer dizer que esses sejam os mais baratos. Nós optamos por pegar um voo da SriLankan Airlines, com escala em Colombo, justamente porque estava bem mais barato que o voo direto da Etihad. Sem dúvida é mais chato e cansativo que pegar um voo direto, mas na época que fomos a diferença no preço da passagem era bem relevante!

Uma forma de economizar nas passagens, além de considerar os voos com escala, é olhar saindo também de Dubai. Muitas vezes os voos que saem de lá são mais baratos.

Na volta, conseguimos fazer upgrade para a business class no trecho Colombo – Abu Dhabi, pois eu inchei muito na ida e fiquei com medo (grávida tem ainda mais riscos de ter trombose). Marido deu o lance mínimo que eles abrem antes do voo e deu certo, graças a Deus! No final das contas, a companhia nos deu o upgrade gratuito no trecho Malé – Colombo também. Além do maior espaço e conforto no voo, outra imensa vantagem de voar de executiva é poder usufruir do lounge no aeroporto enquanto esperamos o próximo voo. No lounge da SriLankan de Colombo o ponto alto foi receber massagem gratuita com produtos ayurvédicos. Quem não ama uma massagem grátis?

Como ir para o resort nas Maldivas

O aeroporto de Malé fica em uma ilha própria, separado até mesmo da cidade. Portanto, para sair do aeroporto rumo ao seu hotel, você deve pegar uma lancha ou um hidroavião.

Se a distância do aeroporto à ilha do seu hotel for menos de 2h de lancha, é possível ir com esse meio de transporte. Se for mais longe que isso, será necessário pegar um hidroavião (confirme sempre com o seu hotel).

Há vantagens e desvantagens nas duas opções. De lancha é bem mais barato e se a distância for curta também é mais rápido. De hidroavião é mais caro (até onde pesquisei, todos os hotéis cobram para fazer esse transporte do aeroporto ao hotel; e esse valor pode chegar a 500 dólares por pessoa de hidroavião!), mas a vista lá de cima dos atóis deve ser espetacular – o que não se tem da lancha. Como os hidroaviões são pequenos, os “saculejos” são sentidos com maior intensidade. De lancha, vai depender do mar: se estiver calmo, ok, caso contrário, se prepare para uma aventura maior. Eu costumo enjoar com facilidade em barcos, mas dessa vez não senti nada.

Para a nossa viagem, antes de escolher o hotel, levamos em consideração o modo como chegaríamos ao resort. Isso porque eu estava grávida de 6 meses e não queria pegar mais um voo para chegar ao hotel (além dos outros 2 para chegar às Maldivas) e também não queria ficar longe de Malé, em caso de alguma emergência e eu precisar ir para uma cidade maior. Ademais, há o fator “economizar” que citei no parágrafo anterior.

Combinamos previamente com o hotel para nos buscar (e levar) do aeroporto e assim que desembarcamos o representante do hotel já estava nos esperando. Aguardamos outros hóspedes por uns 15 minutos e já pegamos a lancha e fomos para o hotel. Rápido e sem complicação, perfeito pra gente que não tinha muito tempo a perder com deslocamentos e esperas.

aeroporto de malé maldivas

Aeroporto de Malé e suas dezenas de stands de hotéis. Foto: arquivo pessoal

O saguão do aeroporto de Malé é um aglomerado de guichês de hotéis, onde os hóspedes ficam esperando até a hora de embarcar, seja de barco ou avião. Sempre confira com o seu hotel sobre os meios de transporte disponíveis para chegar até ele, bem como as taxas aplicadas. Já inclua esse valor no seu orçamento, pois o deslocamento aeroporto-hotel não poderá ser feito por conta própria (pelo menos nunca ouvi falar, a não ser que você se hospede na ilha de Malé, daí é só pegar um ferry pra lá).

Como escolher seu hotel nas Maldivas

Só esse tópico daria um artigo inteiro e há vários desse tipo na internet. Recomendo que você pesquise e leia bastante! Mas, como escrevo esse blog para passar as minhas experiências e opiniões, vou detalhar para vocês o que foi importante pra gente na hora de escolher nosso hotel de babymoon. Independente do estilo de sua viagem, você pode aproveitar as dicas.

maldivas babymoon lua de mel

Nossa foto de despedida do paraíso. Foto: arquivo pessoal

Se você está organizando uma viagem para as Maldivas, se prepare para passar horas, dias, SEMANAS  pesquisando sobre os hotéis e resorts disponíveis. Foi um dos lugares onde mais tivemos dificuldade em decidir, e olha que passamos literalmente 3 anos pensando em viajar para lá e pesquisando hotéis. Mas calma: toda a pesquisa vai valer a pena, pois você vai sentir que seu dinheiro está sendo bem empregado e não terá espaço para arrependimentos.

Bom, além do fator transporte para o hotel, do tópico acima (que atendia o nosso pré-requisito de ser de lancha e estar perto de Malé), levamos em consideração a estrutura do hotel (queríamos um resort 4 ou 5 estrelas), os tipos de quarto (queríamos a vila sobre a água, a water villa), os restaurantes da ilha (lembre-de: você não vai sair de lá para comer) e a ilha em si (não queria uma ilha TÃO pequena e busquei uma que tivesse faixa de areia, pois nem todas têm). Preço, obviamente, também foi um fator considerado.

Li todos os depoimentos do Booking.com, TripAdvisor e artigos de blogs brasileiros e gringos. Olhei os sites oficiais dos hotéis e comparei cada quarto, cada valor, cada restaurante. Quando colocamos o filtro “distância de Malé”, diminuímos as opções. A partir disso, olhava no mapa do Booking os hotéis da região delimitada que atendiam nossos requisitos. Mesmo com tantas especificações, acreditem, havia muitas – e excelentes – opções! Não foi fácil decidir.

Avalie o que é importante para você, do que você não abre mão. Embora Maldivas seja um destino majoritariamente de resorts luxuosos (e caros), há opções para todos os bolsos e gostos, inclusive umas bem econômicas, para quem vai mochilar. Claro, nesse caso, não são hotéis em ilhas exclusivas com quartos em cima da água, mas você pode fazer passeios de barco pela região, mergulhar ou mesmo pagar por um day pass em um resort!

Há resorts exclusivos para adultos, e outros ideais para crianças, há ilhas privativas (sim, só para você), há mega-resorts cheios de atrações e outros que prezam a calma e tranquilidade. Há hotéis que possuem muitos corais e vida marinha, perfeito para quem gosta de fazer snorkeling ou mergulho. Enfim, a lista segue longa. Pesquise!!!

Se você está viajando para as Maldivas, utilize nossa caixa de buscas abaixo do nosso parceiro Booking.com para reservar o seu hotel. Você pode encontrar excelentes preços e, caso efetue a reserva por esse link, estará contribuindo com uma pequena comissão para o blog, sem alterar em nada o preço final para você! É uma forma de incentivar o nosso trabalho e contribuir para a manutenção do blog. Muito obrigada!!!

Booking.com

Taj Exotica Resort & Spa, Maldives

Escolhemos o Taj Exotica Maldives para a nossa babymoon. Ele fica a apenas 20 minutos de lancha do aeroporto de Malé e está em uma das maiores “lagoas” das Maldivas, ou seja, uma imensa área de águas rasinhas, quentes e de um azul-turquesa de doer os olhos (sem exagero). A ilha do Taj Exotica é muito linda! Ela tem um tamanho ótimo para caminhar (não dependíamos dos carrinhos de golfe, embora eles disponibilizassem para se locomover na ilha), tem praia, tem vegetação e sombra, tem bons restaurantes, piscina, spa… Enfim, completa para o que queríamos.

Em relação aos preços, vai depender muito da época que você for, do regime de pensão que escolher (as refeições inclusas) e principalmente do quarto que você vai ficar. Nós ficamos na vila sobre a água (water villa), que é aquela “típica de Maldivas”, suspensa por palafitas no mar, com acesso direto para a água e com piscina privativa. Como é uma viagem que a gente não deve repetir TÃO cedo nessa vida, já escolhemos um quarto com tudo o que tínhamos direito, para não passar nenhuma vontade. Outro ponto importante: mesmo que a gente volte para as Maldivas, crianças geralmente não são aceitas nas water villas, então pode ter sido mesmo nossa última chance – pelo menos por uns bons anos.

taj exotica maldivas water villa

No meio das water villas do Taj Exotica. Foto: arquivo pessoal

Andamos por toda a ilha e vimos também os outros quartos e podemos dizer que valem muito a pena! Especialmente as vilas (como se fossem chalés ou casinhas) na praia, que possuem piscina privativa e podem ter mais de 1 quarto, ideal para famílias com filhos ou casais viajando juntos.

Aliás, havia muitas crianças no hotel (víamos na piscina, principalmente), e não posso deixar de mencionar o cuidado e o carinho que tiveram comigo por estar grávida. Acredita que até cardápio de babymoon eles têm nos restaurantes?!? Nosso quarto também foi todo preparado para a nossa ocasião especial, com fronha bordada na cama e bolo de boas-vindas temático. Se recomendo o Taj Exotica para babymoon? DEMAIS!

babymoon nas maldivas

Nosso delicioso bolinho de boas-vindas à babymoon. Foto: arquivo pessoal

Falando nisso, não deixe de mencionar se estiver grávida (ou grávidos) para o hotel, previamente, por email. Eles devem saber dessa informação para planejar o seu transporte, por exemplo. Uma amiga que também viajou de babymoon para as Maldivas, mas em outro resort, recebeu atenção especial na lancha do aeroporto para o hotel, pois o mar estava mais bravo. Por causa do impacto das ondas, eles pilotaram com mais cuidado e a sentaram em um lugar onde ela sentiria menos.

O nosso quarto era tudo o que esperávamos. A única coisa que ele não tinha e outros resorts têm é o piso de vidro para você ver os peixinhos que nadam embaixo do seu quarto. Não achamos que esse era um item importante o suficiente para riscar o hotel da lista, mas se você acha…

A cama era super confortável, a banheira era ótima (eles a deixavam prontinha para quando voltássemos do jantar), os amenities eram da Molton Brown, de excelente qualidade. A piscina privativa é realmente um plus que fez toda a diferença, pois podíamos ficar sossegados dentro dela vendo o mar. Uma water villa com piscina é a escolha certa para quem quer privacidade, pois não há como ver o que se passa lá dentro (ela é voltada para o mar) e se você pedir serviço de quarto não vai precisar sair dele para nada. E no meu caso, especialmente, que não tinha fôlego e energia pra nadar no mar, curti a piscina enquanto admirava a bela vista.

water villa taj exotica maldives

No “quintal” da nossa water villa com piscina privativa. Foto: arquivo pessoal

Se fôssemos apontar algo negativo do Taj Exotica é que não há muitos corais e vida marinha, pois as correntes são muito fortes, especialmente onde estão as water villas. Por isso, se fazer snorkeling e ver aquela vida marinha exuberante é algo importante para você, talvez lá não seja uma boa escolha. Mas, mesmo assim, vimos vários peixes de diversos tamanhos e até um senhor tubarão de cerca de 1,5 m nadando tranquilamente no meio das vilas. O hotel também oferece (pago à parte) um passeio para mergulho e snorkeling em uma ilha lá perto onde a vida marinha é muito abundante. Marido fez o passeio e adorou! O hotel é o Embudu Village. Outro ponto negativo é que por ser muito perto de Malé a poluição luminosa diminuía a visibilidade das estrelas. Li relatos de hotéis mais isolados em que o céu estrelado é um desbunde!

snorkeling maldivas taj exotica

Marido fazendo snorkeling entre as water villas. Foto: arquivo pessoal

mergulho maldivas

Mergulho no Embudu Village, organizado pelo Taj Exotica. Foto: arquivo pessoal

Ainda falando em vida marinha, todos os dias, no mesmo horário, peixes, raias e tubarões (pequenos, não se preocupem) são alimentados pelos funcionários do hotel. A parte da raia é bem legal, pois eles dão uma boa explicação sobre o bicho, ecossistema, conservação… A bióloga aqui aprovou! Hehe.

raias maldivas

Hora de alimentar as raias e ter aula de educação ambiental. Muito bacana! Vários hóspedes se reuniam para assistir e aprender mais um pouco sobre esse animal tão incrível e seu habitat. Foto: arquivo pessoal

Há 4 restaurantes na ilha: o internacional maior, onde também é servido o café da manhã, o mediterrâneo, o da piscina e um bar de shisha. Nós gostamos bastante de tudo o que comemos por lá, o café da manhã é bem variado e não senti falta de nada (mentira: cadê o pão de queijo? Rs.). Eles têm happy hour para cerveja no restaurante da piscina e tava valendo a pena (marido aprovou). Quanto aos preços, por já morarmos em Abu Dhabi, nem era tão diferente assim… Mas claro, é caro, e tudo é cobrado em dólar.

restaurante maldivas beira-mar

Restaurante da piscina (muito linda, inclusive) do Taj Exotica. A cor desse mar é real, gente, mal dá para acreditar, né? Foto: arquivo pessoal

Na minha opinião, não tem espaço pra tédio em um lugar desse. O que acontece é que você vai desacelerando e curtindo mais cada hora do dia. Maldivas não é lugar para descansar dormindo demais ou ficando de ressaca, muito menos com a cara enfiada no celular, computador ou TV. Acho muito caro pra isso, tem que aproveitar cada segundinho!

E o que se faz em um hotel numa minúscula ilha? Nadar no mar, na piscina, fazer snorkeling, tomar sol, ir para o spa (que tinha uma vista uau!), andar pela ilha, explorando cada cantinho, ver os funcionários alimentando as raias, alugar jet-ski ou caiaque, se aventurar em outros esportes aquáticos, fazer passeios de barco e mergulhar de cilindro, admirar o nascer e o pôr-do-sol, organizar um jantar romântico na praia… E o que eu mais fiz no auge dos meus 6 meses de gravidez: nada! O maravilhoso ócio à beira-mar. Estando grávida ou não, te digo que é uma excelente ideia.

taj exotica praia maldivas

Marido curtindo uma preguiça na rede no pôr do sol. Esse é um pedacinho da praia do Taj Exotica: é larga, de areia fina e branquinha, muito linda e gostosa. Foto: arquivo pessoal

É realmente difícil imaginar uma viagem que se equipare às Maldivas. Seja pela beleza absurda do lugar ou pela magia de se hospedar em uma ilha isolada. O paraíso faz jus à fama que tem e se esse também é um sonho para você, se programe, economize, pesquise bastante e boa viagem!

Comente via Facebook

Comente com o WordPress