Já percebi que vocês, leitores queridos, adoram ler uma entrevista. Ainda bem, pois eu adoro fazer também! Hehe. Acho super bacana conversar com pessoas aqui em Abu Dhabi que têm experiências diferentes das que eu tenho e, com isso, vocês também podem aproveitar as dicas e informações bacanas que eles têm a passar. Por isso, vou tentar publicar todo mês uma entrevista diferente aqui no blog!

Veja também as outras entrevistas do blog AQUI.

Esse mês conversei com a Renata Zagato, uma grande amiga que teve uma experiência única: ser voluntária no zoológico de Abu Dhabi. Embora toda a discussão envolvendo a existência de zoológicos (eu, pessoalmente, como bióloga, sou contra esse tipo de estabelecimento, mas ao mesmo compreendo a necessidade de haver lugares onde a vida selvagem deverá ser recolhida em casos de abuso e/ou abandono), quis trazer esse assunto para o blog, pois notei que muitas pessoas têm interesse no tema.

A Renata tem 29 anos, é dona de casa e mora em Abu Dhabi há 1 ano e 5 meses. Ela não tem formação acadêmica na área veterinária, mas mesmo assim o seu grande interesse pelos animais e a oportunidade de aprender mais a motivou a buscar o voluntariado do zoológico que, de praxe, é de apenas 1 semana.

renata-zagato-zoologico-abu-dhabi-1

Renata no dia em que conheceu o Zoo de Abu Dhabi. Foto: Renata Zagato

Polly: De onde surgiu a ideia de ser voluntária no zoo de AD?

Renata: Desde pequena sempre gostei e quis conhecer mais sobre o mundo animal. Nunca tive oportunidade de estudar na área de veterinária ou algo que me aproximasse mais dos bichinhos, mas me intrigava como era a vida deles dentro de um zoológico, se eram bem tratados, bem alimentados. Queria saber como funcionava um zoológico e ter contato com os animais seria maravilhoso! Fui com uma amiga visitar o zoo de Abu Dhabi e vimos uma moça com um colete escrito: voluntária. Fiquei super empolgada e já que não trabalho pensei: por que não? Eu gosto de bichos e nada melhor do que trabalhar dentro do zoológico pra sanar todas as minhas dúvidas. Sempre assistia muitos programas do Discovery ou Animal Planet e a maior curiosidade era se realmente é um erro manter os bichos confinados dentro de jaulas. Depois de ter visto a voluntária, fui atrás de um funcionário e ele me explicou todo o processo e me mostrou a pessoa responsável pela contratação. E foi aí que tudo começou. 

Polly: Você já teve contato profissional com outros zoos? Tinha alguma experiência com animais selvagens em cativeiro?

Renata: Nunca nem imaginei que essa oportunidade seria possível não tendo nenhum estudo na área. Minha única experiência é com animais domésticos e minha gata.

Polly: Qual foi a duração do seu voluntariado?

Renata: Apenas uma semana, não por vontade minha, mas do zoológico. Por mim, continuaria até enjoar! 

renata-zagato-zoologico-abu-dhabi-2

Trabalhando como voluntária no zoo de Abu Dhabi. Foto: Renata Zagato

Polly: Diga, em resumo, quais foram as atividades desenvolvidas por você lá.

Renata: Um pouco de tudo! Preparação de dietas, observação de comportamento, muito trabalho braçal e muita caminhada. Diria que foi de regar animais devido ao calor excessivo de Abu Dhabi a carregar sacos pesados de ração. Parado não fica, é muito trabalho!

Polly: Qual foi a área que você mais gostou de conhecer? Ou o que mais gostou de fazer?

Renata: Eu adorei conhecer tudo! Mas o que mais me encantou foi o dia que passei acompanhando o trabalho do veterinário. O olhar de um veterinário de animais silvestres é muito diferente de um veterinário de pets. Tem que ficar atento a cada movimento estranho, a cada passo e saber lidar com cada espécie diferente que existe lá, já que não tem como consultar cada bicho individualmente. Observação é muito importante dentro de um zoo.  Também adorei preparar a dieta dos animais. Saber que eles se alimentam adequadamente e com tudo fresco deu um certo conforto pro meu coração.

Polly: E teve algo que não gostou?

Renata: Muito trabalho braçal debaixo de sol quente sem área coberta. Não é um problema do zoológico, mas de clima. As jaulas tem termômetro e não são tão quentes quanto as áreas que os funcionários trabalham.

Polly: Como foi a relação com os outros profissionais do zoo?

Renata: A princípio foi bem estranho, eles achavam que estava lá só pra tirar foto com os animais e que não ia querer colocar a mão na massa. Acredito que os voluntários são sempre estudantes da área e vão mais para observação do que trabalho pesado. Tinha que explicar para todos que não estava lá só para observar e sim para ajudar, aí começavam a nos explicar as coisas com paciência e sempre mostravam ser gratos pela ajuda.

renata-zagato-zoologico-abu-dhabi-3

Macaquinho no zoo de Abu Dhabi. Foto: Renata Zagato

Polly: Você considera que o seu aprendizado foi como esperado?

Renata: Diria que foi melhor do que o esperado. Tudo o que tinha para fazer eles perguntavam antes se eu me importava de fazer ou não. E para cada atividade era explicado o motivo daquilo e todo o procedimento, sempre muito atenciosos. Aprendi mais coisas do que eu imaginei pra uma semana.

Polly: O saldo final foi positivo ou negativo? Você gostou da sua experiência, de maneira geral?

Renata: Foi positivo. Como disse antes, foi extremamente cansativo! Muito trabalho braçal e muita coisa pra fazer. Mas ver aquelas pessoas apaixonadas pelos animais e fazendo de tudo para dar qualidade de vida a eles compensou todo o esforço. Eu gostei muito dessa experiência e vi e aprendi muita coisa.

Polly: Você recomendaria a outras pessoas que se voluntariem no zoo de AD?

Renata: Sim, claro. Para mim, trabalho voluntário deve vir do coração. Se alguém tem vontade de conhecer e disposição, por que não? Mas vá preparado para suar muito e carregar bastante peso! (risos)

Polly: Gostaria de fazer alguma consideração final?

Renata: Zoológico é um tema muito contraditório. Ao mesmo tempo que vemos no olhar de alguns dos animais tristeza por estar ali, presos e entediados, também vemos outros que foram resgatados em situações horrendas e te olham como se estivessem agradecendo por uma nova oportunidade de viver. Mas se não fosse nossa curiosidade e essa vontade absurda de criar animais silvestres e tê-los por perto, muitas vezes na tentativa de domesticá-los, talvez não houvesse tantos resgates assim. Falo isso de maneira geral de todos os zoológicos que já visitei e vi por vídeos ou por fotografias. No zoológico de Abu Dhabi existem muitos animais vindos de resgates, muitos deles chegam lá extremamente debilitados e doentes. Pelo que percebi, as equipes dão o sangue para dar conforto e melhor qualidade de vida pra esses bichos e foi gratificante ver todo esse esforço. Uma das coisas que mais gostei foi que alguns funcionários usam o zoológico como forma de conscientização de que bicho selvagem não é pet (aparentemente muito comum nos Emirados Árabes Unidos, que possuem grandes felinos como guepardos em casa simbolizando poder), ja que mantê-los em casa pode ser perigoso tanto para o animal quanto para os donos. As leis estão mudando e em alguns lugares a posse de animal silvestre já é proibida. Gostei do que vi e do que aprendi, gostei de conseguir por pelo menos uma semana ajudar na qualidade de vida desses animais. Gostei de ver o amor deles com os tratadores e vice versa. Gostei de ver cozinha limpa e comida fresca e principalmente por fazerem de tudo para não terem que cedar os animais para medicamentos ou para exposições. Foi uma experiência diferente de tudo o que já vivi e que com certeza vou carregar comigo para o resto da vida.

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • Marly novembro 24, 2016

    Parabéns para a Renata, excelente iniciativa! Parabéns Polly! excelente abordagem!