Dando continuidade à parte I, vamos falar hoje sobre Shibuya, um importante bairro de Tokyo que fica ao lado de Shinjuku, onde nos hospedamos.

Shibuya é bastante movimentado, jovial, vivo! Lembra um pouco o seu vizinho Shinjuku no quesito “painéis luminosos”, mas sei lá… Shibuya tem um charme e um glamour a mais, sabe? Vamos ver se consigo traduzir o que senti lá com este singelo artigo.

shibuya tóquio

Pelas ruas de Shibuya. Foto: arquivo pessoal

Harajuku

Harajuku é uma das mais famosas estações de trem de Tokyo, dirá do mundo! Não é tão movimentada quanto Shinjuku e a maior atração não é bem a estação em si (apesar de ser bem charmosinha), mas o seu entorno: sabe aquelas meninas japonesas que se vestem como bonecas ou cosplays? Pois é ao redor da estação de Harajuku que elas se reúnem, principalmente aos sábados e domingos à noite (fui outro dia e não vi nenhuma).

Se você não quer ficar andando sem rumo pela região, vá para a rua Takeshita Dori (Takeshita Street) e se divirta ao apreciar as vitrines “exóticas” e coloridas desse lugar.

harajuku

Loja de fantasias na Takeshita Steet. Só depois que fotografei que fui informada que era proibido. Too late… Foto: arquivo pessoal

Omotesando

Outra rua famosa de Shibuya é a Omotesando, conhecida como a Champs-Élysées de Tokyo. Resguardadas as devidas proporções, a rua é realmente bonita e repleta de lojas de grifes famosas (e caras). Mesmo que você não esteja disposto a gastar o orçamento anual por lá, vale a pena dar uma olhada nas vitrines, são muito belas!

Estação de Shibuya

Uma das principais imagens que correm ao mundo e que nos remete ao Japão é a de um cruzamento com MUITA gente atravessando a rua. Bom, esse lugar realmente existe e também fica em Shibuya, em frente à estação de mesmo nome. A cena é realmente impressionante: quando o sinal para pedestres abre, um mar de gente, em um mar de faixa de pedestres, atravessa a rua! É claro que eu, como boa turista, tive que atravessar várias vezes para ver se conseguia uma boa foto (sem sucesso). Mas valeram as tentativas. Foi muito divertido e eu notei que havia muita gente que também tinha o mesmo propósito que eu, registrar a travessia, o que me levou à seguinte dúvida:

  • Quantas pessoas estão atravessando porque realmente precisam?
  • Quantas estão atravessando só como atração turística?

Não sei responder…

cruzamento shibuya toquio

Famoso cruzamento de Shibuya. Foto: arquivo pessoal

Famoso cruzamento de Shibuya. Foto: arquivo pessoal

Atravessando o famoso cruzamento de Shibuya pela 15ª vez! Foto: arquivo pessoal

Ao visitar o cruzamento de Shibuya, você já conhecerá outro famoso ponto turístico da capital japonesa: a estátua de Hachiko. Hachiko foi um cachorro que esperou pelo seu dono falecido em frente à estação por muitos anos, até a sua própria morte. Há filmes que contam melhor essa história, mas eu não sou louca de assistir #choromuitomesmo

hachiko tóquio

Com a estátua de Hachiko. Foto: arquivo pessoal

Yoyogi Park

Também em Shibuya fica o Yoyogi Park, um parque super fofo, enorme e que vale muito a pena a visita!

Yoyogi Park, em Tóquio. Foto: arquivo pessoal

Yoyogi Park, em Tóquio. Foto: arquivo pessoal

Yoyogi Park, em Tóquio. Foto: arquivo pessoal

Yoyogi Park, em Tóquio. Foto: arquivo pessoal

Dentro desse parque há o Meiji Shrine, um santuário xintoísta dedicado aos espíritos deificados do Imperador Meiji e sua esposa, a Imperatriz Shōken. No dia que fomos lá estava nublado e chovendo, mas nem isso tirou a beleza do lugar. Ele fica no meio de uma mata muito densa e como chegamos ao parque por uma entrada norte, fizemos uma longa caminhada em meio às árvores.

O santuário estava muito cheio (aliás, não há nenhum lugar vazio no Japão…). Havia vários casais com trajes de casamento e muitas crianças com as roupas típicas. Lindas!

Atravessando a mata, a caminho do Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

A caminho do Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

Meiji Shrine, Tóquio. Foto: arquivo pessoal

Meiji Shrine, Tokio. Foto: arquivo pessoal

Japoneses em trajes típicos no Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

Noivos japoneses no Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

Adoráveis crianças japonesas no Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

Adoráveis crianças japonesas no Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

Adoráveis crianças japonesas no Meiji Shrine. Foto: arquivo pessoal

Sem dúvida, Shibuya não pode faltar no seu roteiro por Tóquio. Dá para passar o dia inteiro por esse bairro e ainda assim não conhecer tudo – e foi o nosso caso, não conseguimos ver tudo que planejamos. Além de todas essas atrações turísticas, há também bons bares e restaurantes e as melhores casas noturnas da cidade. Por causa da nossa idade (perto dos 80, sabem como é…) não fomos a nenhuma, mas recebi boas indicações, anyway.

Ainda teremos vários posts sobre o Japão, aguardem! Beijos

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • […] posts do Japão: parte I, parte II, parte III, parte IV e parte […]

  • […] das nossas andanças por Tokyo (que vocês podem conferir na parte I, parte II, parte III, parte IV, parte V e parte VI) fomos para Hakone, uma cidadezinha que fica a menos de […]