Em nossas últimas aventuras por Tokyo, decidimos conhecer os pontos isolados na capital japonesa que não se encaixaram no roteiro dos outros dias.

Começamos o dia pelo Distrito de Ryogoku, às margens do rio sumida, para visitar um dos principais museus da cidade e entrar em contato com um esporte tipicamente japonês: o sumô.

Ryogoku

O Distrito é o centro do sumô do mundo. Nele estão o estádio de sumô Kokugigan e vários lugares onde se pode praticar o esporte e… comer!

Como sumô não é a nossa praia, ficamos somente com essa última opção. Escolhemos um restaurante que abrigava um “ringue” para a luta. Pena que no momento que estávamos almoçando não havia nenhuma apresentação, mas já valeu para sentir o clima do lugar. Se você é fã de artes marciais, não pode deixar de visitar o local!

Edo-Tokyo Museum

O Edo-Tokyo Museum é um dos principais (se não o principal) museus da cidade e retrata a história de Tokyo ao longo dos séculos, desde o Período Edo até os dias atuais. O diferencial do museu é que ele possui modelos reais de construções e objetos das diferentes épocas, o que o torna bastante interessante, mesmo para aqueles que não gostam de museus e não sabem muito da história do Japão.

Havia pessoas de várias idades e todos pareciam estar bem interessados nos modelos de “casinhas”, maquetes, barcos etc. As representações das casas dos último século, inclusive os artefatos da II Guerra Mundial, são de emocionar.

Recomendo muuuuuito a ida a esse museu! A visita pode ser feita em apenas 2 horas e, acreditem, vale cada minuto!

Koishikawa Kōrakuen Garden

Tokyo possui lindas e abundantes áreas verdes. Quem já leu os outros posts da série Japão, viu que visitamos alguns parques e jardins pela cidade. Ao planejarmos o roteiro, a dúvida era qual escolher para visitar durante a nossa estada, já que não teríamos tempo para ver todos.

Para ajudar nessa tarefa, fui à busca de dezenas de reviews pela internet e vários eram unânimes: Koishikawa Korakuen era um dos mais bonitos e valia muito a visita. Esse típico jardim japonês é um dos mais velhos de Tokyo, construído no começo do Período Edo (1600-1867).

Programei para chegarmos lá no fim da tarde (o parque fecha relativamente cedo, então é bom pensar nisso também) e foi maravilhoso!! Assistimos a um final de tarde belíssimo e ainda deu tempo de correr para pegar os últimos raios de luz na próxima atração: Tokyo Dome.

Tokyo Dome City 

Tokyo Dome City é o complexo formado pelo jardim Koishikawa, o estádio Tokyo Dome, lojas, restaurantes, brinquedos e até um spa e um hotel. O lugar é super charmoso e vale a visita, caso esteja de passagem pelo jardim.

Nós andamos na roda-gigante, o marido andou na montanha-russa e jantamos lá também. Assistimos às cores incríveis do pôr do sol em Tokyo do alto da roda-gigante, ouvindo músicas japonesas bizarras dentro da nossa cabine – foi uma experiência bem interessante! Do alto da roda-gigante também podemos contemplar melhor a estrutura do Tokyo Dome e a vista da cidade é linda.

No mesmo dia, acontecia um show de uma “boy band” japonesa dentro do estádio e, por incrível que pareça, mal conseguíamos ouvir o som lá de dentro! Isolamento acústico nota 10.

Akihabara

Não visitamos o bairro de Akihabara no mesmo dia que as atrações anteriores, mas já vou aproveitar a oportunidade e inclui-lo aqui mesmo.

Akihabara é o distrito eletrônico de Tokyo. Sim, aquele lugar dos sonhos para os apaixonados por novas tecnologias, câmeras fotográficas, anime, mangá etc.

O bairro é bacana, cheio de jovens e lojas legais. Para quem é viciado em anime e mangá, é uma parada obrigatória. Eu me aventurei em umas máquinas de pegar bichinhos (que lá não são somente os de pelúcia), mas só o marido conseguiu “pescar” um chaveirinho para mim! Nos divertidos muito esse dia… O bairro é muito alto-astral!

Achei interessante para conhecer, mas não compramos nada de eletrônico (apenas algumas lembrancinhas). Acredito que para quem é MUITO viciado em eletrônicos e tenha em mente algo que queria comprar, tipo uma câmera de última geração, esse seja o lugar certo. Os meus planos eram somente de turismo mesmo.

De qualquer forma, achei esse guia interessante sobre o bairro e pode te ajudar, caso queira gastar uns yenes por lá: Japan Guide.

E por hoje é só! Próxima parada… Hakone!

Outros posts do Japão aqui!

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • […] Tokyo (que vocês podem conferir na parte I, parte II, parte III, parte IV, parte V e parte VI) fomos para Hakone, uma cidadezinha que fica a menos de 100 km da capital japonesa, pertinho do […]