Eu não poderia conceber a ideia de visitar a Jordânia e não conhecer Petra. Com o início das pesquisas de viagem, Wadi Rum também entrou na lista e, não importava o que teríamos que fazer, ou deixar de fazer, no nosso roteiro pela Jordânia, esse deserto não poderia ficar de fora.

Como vocês podem ver no mapa abaixo, a Área Protegida de Wadi Rum fica bem longe da capital Amã, de onde chegariam e partiriam os nossos voos, ou seja, para realizar o desejo de conhecer o deserto vermelho da Jordânia, teríamos que nos deslocar muito dentro do país. E já posso adiantar algo a vocês? Valeu a pena cada quilômetro rodado!

mapa wadi rum

Localização da Área Protegida de Wadi Rum. Fonte: Google Maps

Como chegar ao Wadi Rum

Para chegar ao Wadi Rum saímos cedinho de nosso hotel em Amã e pegamos a estrada rumo ao sul do país. Foram 4h de viagem, aproximadamente 315 km da capital à Área Protegida. Para o transporte, utilizamos a mesma empresa de turismo que nos acompanhou durante toda a viagem à Jordânia (vou falar especificamente sobre isso em outro post). Não sei se há outra forma de ir de Amã até o Wadi Rum tão eficiente quanto carro + motorista local. Se você não quer preocupação, contrate também uma empresa de turismo ou um motorista para te levar até lá.

A caminho de Wadi Rum, nosso motorista se saindo super bem com o clima doido da Jordânia: tempestades de areia, de água e ventos que balançavam o carro na estrada. Foto: arquivo pessoal

Sobre o deserto vermelho de Wadi Rum

A Área Protegida de Wadi Rum, também conhecida como “Vale da Lua”, é habitada desde a pré-história. Inclusive, vimos registros de antigas civilizações que deixaram suas marcas nas pedras da região. A paisagem desse deserto vermelho é absolutamente fantástica! A chamam de “Vale da Lua”, mas eu chamaria de “Vale de Marte”. Hollywood também concorda comigo, é por isso que eles filmaram o filme “The Martian” por lá! O canal no Youtube “Visit Jordan” também fez um vídeo promocional explorando essa temática. Olhem que legal:

Visita ao Wadi Rum

O marido já havia visitado a Jordânia em 2008 e, na ocasião, fez um passeio por esse deserto e acampou por lá. Ainda hoje oferecem esse tipo de turismo e se você é mais aventureiro ou tem tempo de sobra no país, acho que vale a pena passar por essa experiência com os beduínos no deserto jordaniano. Nós, porém, só tínhamos algumas horas, pois estávamos vindo de Amã e ainda teríamos que nos deslocar até Petra, onde passaríamos a noite.

O deserto de Wadi Rum é habitado, nos dias de hoje, por tribos beduínas. Com o aumento do turismo nos últimos anos, houve uma significativa melhora na qualidade de vida dessas tribos, que hoje contam com maior infraestrutura (casas, escolas), melhores veículos e, consequentemente, melhor estrutura para o próprio turismo. Ao chegarmos lá, fomos recepcionados por um guia beduíno que nos levou para o passeio pelo deserto com duração de 2h, utilizando o próprio carro. O guia que nos acompanhou falava inglês muito bem, era muito simpático e nos esclareceu vários aspectos da vida no deserto e também da própria história do local.

tenda beduína wadi rum

Tenda beduína em Wadi Rum. Foto: arquivo pessoal

camelo tenda beduína wadi rum

Tenda beduína em Wadi Rum. Foto: arquivo pessoal

petroglifos wadi rum

Petróglifos em Wadi Rum. Foto: arquivo pessoal

wadi rum jordânia

Explorando o deserto de Wadi Rum, na Jordânia. Foto: arquivo pessoal

O guia nos levou a pontos específicos do grande deserto para mostrar o que havia de mais interessante. Éramos somente eu e marido dentro do carro com ele, mas isso porque o “deserto estava deserto” e, além de nós dois, só vimos outro carro com alguns turistas. A grande vantagem de viajar no inverno é que não tínhamos que disputar espaço e a atenção do guia, que ficou por nossa conta. Não sei se por esse motivo, ou é sempre assim, mas o silêncio e a paz desse lugar são indescritíveis!

beduíno guia wadi rum

No carro com o beduíno, nosso guia. Foto: arquivo pessoal

petróglifos wadi rum

Nosso guia nos mostrando outros petróglifos escondidos em Wadi Rum. Foto: arquivo pessoal

wadi rum petróglifos

Petróglifos em destaque (caçador e caça). Foto: arquivo pessoal

wadi rum jordania

Mais petróglifos em Wadi Rum. Foto: arquivo pessoal

KHAZALI CANYON wadi rum

Khazali Cayon, em Wadi Rum, onde estão os petróglifos. Foto: arquivo pessoal

Eu fiquei completamente apaixonada pelo Wadi Rum! Não passamos tanto tempo por lá quanto gostaria, mas definitivamente recomendo a todos que estendam a sua visita ao deserto. No dia que visitamos, o frio era intenso e o vento estava fortíssimo! Inclusive, por segurança, o nosso guia não nos deixou passar pela “ponte”, uma estrutura de pedra que remete a essa tipo de construção, e nossa câmera fotográfica estragou, pois entrou areia na lente. A visita durante o inverno foi menos sofrida do que no verão, mas acho que nas estações intermediárias deve ser mais agradável, pois subir dunas com casaco de frio foi bem complicado, vejam pelas fotos seguintes:

duna wadi rum

Fazendo um enorme esforço para subir a duna…

wadi rum

Olhando para trás para descansar e admirar a paisagem…

wadi rum

Completamente esbaforida e ainda no meio do caminho…

wadi rum

Marido com ritmo bom de subida…

wadi rum

Chegueeeeiiii!

wadi rum jordania

Muito tempo recuperando o fôlego apreciando a paisagem…

wadi rum

A mão apoiando na pedra é porque o vento era forte! A outra era para senti-lo. Foto: arquivo pessoal

deserto wadi rum

O lindo e incrível deserto vermelho de Wadi Rum! Foto: arquivo pessoal

O deserto é belíssimo! Sua areia é fina e bem vermelha, as formações rochosas são gigantescas (a maior alcança 1.800 m acima do nível do mar) e algumas são mais famosas, como os “7 Pilares da Sabedoria”, nome dado em homenagem ao livro do oficial britânico T. E. Lawrence. A vegetação do local também é muito intrigante (oi, bióloga) e, uma pena, não vimos nenhum animal além dos camelos dos beduínos. Talvez seja um motivo para voltar, né?

wadi rum

Foto: arquivo pessoal

vegetação wadi rum

Foto: arquivo pessoal

wadi rum

Foto: arquivo pessoal

E por hoje é só, pessoal! Espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre esse pontinho vermelho no Oriente Médio que tanto me encantou. Se tiverem oportunidade, não deixem de visitá-lo também! Tenho certeza que irão adorar 🙂 Deixem nos comentários o que vocês acharam do post e me contem se já foram ao Wadi Rum e o que acharam da experiência.

Outros posts da Jordânia aqui.

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • Jaqueline setembro 3, 2018

    Olá Poly
    farei esse roteiro em outubro, somos 4 pessoas. Alugamos um carro para pegar e devolver no aeroporto de Amã. Esse guia que fez o passeio de 2h no deserto, onde vc encontrou? Como faço para contratar um também. Obrigada. Jaqueline

    • Pollyane
      Pollyane setembro 4, 2018

      Oi Jaqueline. Esse guia é do próprio Wadi Rum. Quando vc chegar na portaria eles irão te apresentar o guia que acompanhará vcs. Boa viagem!

  • Renata Suzart fevereiro 20, 2018

    Ebaaaa! Daqui a pouco estou vendo e sentindo tudo isso de pertinho! Já anotei as dicas!!! beijao, lindona!

  • […] a Petra a partir do Wadi Rum (artigo aqui). Saímos cedo de Amã, fomos para o deserto vermelho e de lá fomos para Wadi Musa. Chegamos ao […]

  • Josiane Bravo fevereiro 28, 2017

    Que paisagem incrível desse deserto. Apesar de não ser um destino meio que exótico para mim, a Jordania com certeza está nos planos de lugares que tenho muita vontade de conhecer no Oriente Médio. Vou ficar aqui ansiosa para ler os próximos posts 🙂
    Beijos

    • Pollyane
      Pollyane março 1, 2017

      A Jordânia é um país muito incrível e vale a visita, Josi! Espero que consiga ir 🙂 Beijo grande.

  • Katarina Holanda fevereiro 27, 2017

    Que lindo, Polly!! *-* Eu “conheci” esse deserto quando vi Perdido em Marte e fui procurar sobre as locações, deve ser demais <33

    • Pollyane
      Pollyane março 1, 2017

      Que legal, Katarina! Sabe que quando vi o filme nem achei que pudesse ser real, de tão lindo? Tomara que consiga visitar pessoalmente, agora. Beijo!

  • Taís fevereiro 26, 2017

    Que lugar mais sensacional, Polly! Obrigada por compartilhar como foi sua experiência por lá. Sou doida pra visitar a Jordania e espero conseguir ir um dia ver essa beleza toda com meus próprios olhos. Cenário de outro planeta! *.*

    • Pollyane
      Pollyane março 1, 2017

      É lindo demais, né Taís? A Jordânia é um país que vale muito a pena, sim. Espero que vc possa conhecer logo! Beijos

  • Marcia fevereiro 25, 2017

    Que post lindo! Vou acompanhar os próximos de perto. Ah, em Português o filme The Martian se chama Perdido em Marte – não sabia da locação!

    • Pollyane
      Pollyane março 1, 2017

      Muito obrigada, Márcia, já corrigi 😉 Incrível, não é? Beijo grande.

  • Renata Suzart fevereiro 25, 2017

    Lindíssimo lugar! Fotos show! Adorei o post!

  • Renata fevereiro 24, 2017

    Polly, que lugar incrível e lindo! Amei as fotos e o fato de estar tão vazio, sem aquele monte de turista invadindo a foto e o sossego do lugar. Esse é um lugar que espero muito poder conhecer!

    • Pollyane
      Pollyane março 1, 2017

      Também torço para que vcs conheçam logo! É lindo demais 😀