19 de março de 2017

Jordânia: Por que eu adorei Amã

Uma cidade viva e um povo simpático

Amã, a capital da Jordânia, me conquistou. Confesso que fui sem boas expectativas, já que o marido já conhecia e não falava muito bem. Surpreendentemente, porém, os julgamentos dele não me comoveram e, muitas vezes pelos mesmos motivos pelo qual ele não gostou, eu adorei.

[Muito] Diferente de Abu Dhabi, também uma capital de um país árabe, muçulmano e do Oriente Médio, Amã é uma cidade viva, real, vibrante! A distribuição da cidade em morros deu a ela um ar urbano de algo que foi conquistado e construído aos poucos por quem vive ali, não de algo pronto e encaixado perfeitamente, como uma maquete, que vejo em outras capitais por aqui aí (Rs). Morar em AD é certamente muito mais fácil do que seria morar em Amã, mas mesmo ficando por apenas 2 dias na capital jordaniana, senti um contato com a cultura árabe que nunca senti aqui. Além disso, tudo na capital jordaniana me agradava. Vai entender…

turismo em ama jordania

Motivos para amar Amã: chuva e decoração de Natal. Foto: arquivo pessoal

pôr do sol jordânia

Pôr do sol em Amã. Foto: arquivo pessoal

O povo jordaniano também é muito simpático. Mas muito mesmo! Eu já tinha contato com um jordaniano (Oi, Saif!) em AD e o achava muito legal, mas agradável mesmo foi a minha surpresa ao constatar que o povo jordaniano é assim: simples, sorridente, simpático! Precisamos concordar que o povo pode fazer muito pelo seu país sendo simpáticos com os turistas. Não só para mim, como para outros viajantes, esse é um ponto fraco. Algo que me faz querer ou não voltar a um lugar. E eu fiquei com vontade de voltar a Amã, principalmente pelo seu povo!

Dica de compras em Amã por um jordaniano

Quando estava em Amã, entrei em contato com o Saif e pedi a ele dicas de onde comprar roupas de frio (sim, estava bem mais frio do que eu imaginava). Amã é uma cidade cara e tem oferta de produtos de marcas famosas, porém com preços elevados. Não era o que eu queria, mas tampouco estava disposta a ir a um lugar muito “escondido” para comprar uns casacos. Ele me indicou o Maxim Mall (rua Al-Jalil), um shopping popular da cidade, localizado em uma região com várias outras lojas e restaurantes. E como a dica foi boa, vou compartilhar!

inverno em ama

Amã em dezembro é gelada! Foto: arquivo pessoal

Para chegar ao local a partir do hotel chamamos um Uber, que funciona bem na cidade e é mais prático para o turista, especialmente para quem não falamos em árabe. O pequeno shopping é simples em sua estrutura (em Goiás chamaríamos de galeria) e é de fato frequentado por jordanianos e zero turistas. Foi muito engraçado andar pelos corredores do shopping e notar os olhares curiosos dos que estavam lá. Certamente acharam que fomos parar ali acidentalmente… Hehe. Ah, um aviso: jordanianos são assanhadinhos, então se prepare para os olhares e sorrisos – mas nada que me ofendesse, preciso esclarecer.

Como era de se esperar, a maior parte das lojas de roupas vendem moda muçulmana. E como era inverno, também estavam ajustadas a essa estação (a Jordânia tem um inverno rigoroso, pensando em Oriente Médio, foi interessante ver isso). Em todas as lojas que entrei, achei a qualidade das roupas excelente! Eu fiquei embasbacada com os tecidos, cortes e acabamentos. Sabem no Brasil quando falamos em lojas tipo “boutique”, que vendem roupas boas, mas não são de marcas famosas? Pois é, esse shopping tem várias dessas boutiques – e eu fui à loucura! Achei casacos por preços ótimos e para quem mora no Oriente Médio, como eu, e precisa usar roupas mais comportadas, poderá fazer excelentes compras!

compras em ama

Alegria de casaco novo e mais sacolas nas mãos! Foto: arquivo pessoal

Turismo em Amã: Citadel

Não tínhamos tanto tempo para explorar Amã quanto gostaria. Priorizamos o essencial, que é a Citadel. Esse sítio histórico, que está no topo de um morro (1 dos 7 que constituíram o início de Amã), é um dos lugares na Terra habitados continuamente mais antigos do mundo. Os registros mais antigos de ocupação da área datam do Neolítico, ou Idade da Pedra Polida (entre 4.500 e 2.000 anos a.C. no Oriente Médio). O lugar foi habitado ainda por outras grandes civilizações do período Romano, Bizantino e Umayyad (califado árabe).

Fomos para a Citadel de carro, com o motorista que contratamos. Chegando lá, fomos recepcionados por um guia local, que fez todo o percurso da Citadel conosco, nos explicando sobre as ruínas e a própria cidade de Amã. Como éramos só eu e o marido, a visita foi muito tranquila, seguindo o nosso ritmo de passos e perguntas, todas respondidas com muita cortesia pelo guia. O tempo da visita é entre 1 e 3 horas, a depender do seu interesse pelas ruínas e suas histórias.

Citadel em Amã jordânia

Citadel em Amã. Foto: arquivo pessoal

templo de hercules citadela ama

Templo de Hércules, Citadel. Foto: arquivo pessoal

ruinas ama citadel

Ruínas romanas em Citadela. Foto: arquivo pessoal

citadel ama jordania ruinas romanas

Ruínas em Citadel. Foto: arquivo pessoal

anfiteatro romano ama jordania

Anfiteatro Romano visto da Citadel. Foto: arquivo pessoal

citadela amã jordânia

Citadela, Amã. Foto: arquivo pessoal

As principais ruínas do lugar, ou pelo menos as mais expressivas em tamanho, são o Templo de Hércules (Período Romano) e o Palácio de Umayyad. Há ainda outras ruínas e estátuas de alta relevância histórica, além de um Museu (Jordan Archeological Museum) com itens encontrados no próprio local e em outros lugares da Jordânia. Outro fato que me fez amar esse passeio foi a vista de Amã a partir da Citadela: incrível! Ah, como fomos em dezembro, inverno na Jordânia, fazia muito frio e também choveu. Penso que em dias ainda mais frios, ou pior, no auge do verão, a visita não deve ser tão agradável.

Na Citadela não há uma divisão entre as ruínas e seus respectivos períodos históricos, o que torna o lugar ainda mais interessante, já que você pode encontrar uma pilastra romana bem pertinho de uma caverna da Idade das Pedras. Desde 1920, há pesquisadores do mundo inteiro fazendo explorações na área, mas ainda há muito a ser descoberto. O nosso guia nos informou que boa parte do que havia lá foi saqueado e utilizado em outras construções da região. É inevitável olhar para aquele tanto de casas nos morros vizinhos e não imaginar que pias de hoje eram partes de estátuas romanas séculos atrás. História é, de fato, algo muito vivo e apaixonante, assim como Amã.

ruínas em amã jordânia

Ruínas em primeiro plano, Amã em segundo. Foto: arquivo pessoal

turismo amã

Mais ruínas, mais Amã. Foto: arquivo pessoal

Foto panorâmica de uma caverna utilizada há 4 mil anos como tumbas, abrigo de pessoas e animais:

citadela amã jordânia

Excelente vista de Amã a partir de Citadel. Foto: arquivo pessoal

citadel ama

Citadel, Amã. Foto: arquivo pessoal

umayyad palace ama

Umayyad Palace. Foto: arquivo pessoal

umayyad palace por dentro

Interior do Umayyad Palace. Foto: arquivo pessoal

umayyad palace citadel

Teto restaurado do Umayyad Palace. foto: arquivo pessoal

Interior do Umayyad Palace

Interior do Umayyad Palace. Foto: arquivo pessoal

museu citadel ama

Museu de Arqueologia em Citadel. Foto: arquivo pessoal

Museu de Arqueologia em Citadela

Do Período Romano. Foto: arquivo pessoal

Museu de Arqueologia em Citadela

Do Período da Pedra Polida. Foto: arquivo pessoal

museu citadela ama

Uma cirurgia mal sucedida. Foto: arquivo pessoal

caixao antropoide

Caixões antropoides. Foto: arquivo pessoal

***

Queria muito que esse post tivesse continuado para que eu mostrasse outras coisas de Amã, mas como falei, infelizmente, não deu tempo. Espero que possam aproveitar as dicas e conhecer a cidade, caso tenham oportunidade. Se tiverem uma boa dica de passeio em Amã, deixem nos comentários! Para ver outros posts da Jordânia, clique aqui. Beijo grande!

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • Aldenia chaves maio 22, 2019

    Olá gostaria muito de conhecer Amã

    • Pollyane julho 7, 2019

      Eu acho que vale super a pena, Aldenia! É uma cidade mto interessante.

  • Rhaissa maio 16, 2017

    Ola, Polly!
    Acabei de descobrir o seu blog e estou simplesmente amando! Parabens pela iniciativa!
    Estou morando em Amã a 4 meses e gostei de ver o seu post sobre a ”minha” nova cidade. Bom receber um ponto de vista diferente de outra brasileira! 🙂 Beijos!

    • Pollyane maio 17, 2017

      Oi Rhaissa! Muito obrigada pela visita e pelas carinhosas palavras. A sua cidade é incrível e foi uma imensa alegria tê-la conhecido e poder falar sobre ela 😉 Espero que esteja gostando também! Beijo grande.

    • Anna Maria agosto 31, 2017

      Rhaissa, olá!
      Gostaria de me mudar para a Jordânia.
      Pode me ajudar com algumas informações?
      Vou deixar meu e-mail.
      anna.cesar@gmail.com
      Obrigada.

  • […] de Jerash (também chamada de Gérasa) e depois para o Castelo de Ajlun. Noite em Amã. (Posts aqui e […]

  • […] mesmo dia em que conhecemos a Citadel, em Amã, fomos para Jerash (Gérasa ou Jarash), uma cidade que fica a apenas 48 km ao norte de Amã, e para […]