No mesmo dia em que conhecemos a Citadel, em Amã, fomos para Jerash (Gérasa ou Jarash), uma cidade que fica a apenas 48 km ao norte de Amã, e para o Castelo Ajlun (ou Ajloun), que fica bem perto dessa primeira. As ruínas romanas da cidade de Jerash são muito conhecidas e visitadas pela maioria dos turistas que vão a Amã, o Castelo de Ajlun já não é tão conhecido e por isso achei que valia fazer um post sobre os dois, para que você possa incluir no seu roteiro, caso tenha tempo.

jerash jordania

Ruínas de Jerash. Foto: arquivo pessoal

Como visitar Jerash e o Castelo de Ajlun

Nós fomos de carro com o motorista que contratamos. O roteiro desse dia foi: tomamos café da manhã no hotel, fomos para a Citadel, em Amã, depois fomos direto para as ruínas de Jerash, almoçamos na cidade, seguimos para o Castelo de Ajloun e voltamos para o hotel em Amã às 16h. Tudo feito com muita tranquilidade, sem pressa, ou seja, dá para fazer as 3 atrações no mesmo dia e ainda aproveitar a noite para visitar outro lugar em Amã (eu fui fazer compras, lembram?).

A estrada que vai para o Castelo Ajlun é muito bonita! Ele fica em uma região mais verde da Jordânia e foi bem interessante observar a mudança na paisagem à medida que aproximávamos dele. Essa região também é montanhosa e fresca (quando fomos estava bem fria, porque era inverno).

castelo ajlun

Vista do Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

Durante o tempo em que estivemos em Jerash, chovia muito! O lugar é todo aberto e se não fosse o guarda-chuva que o nosso motorista nos emprestou, nosso passeio teria sido trágico. Durante o verão, o calor deve ser terrível e acho prudente o uso de um chapéu, guarda-sol e protetor solar. Leve também garrafinha com água, pois o passeio é demorado e só há lanchonete na entrada das ruínas. Fomos um pouco antes da hora do almoço e o lugar estava vazio (creio que por causa da chuva), mas na alta temporada é recomendado chegar bem cedinho para evitar o calor e as grandes multidões.

O jeito mais fácil de chegar aos dois lugares é certamente contratar um tour ou um motorista, como fizemos. Não sei dizer se há transporte público a esses locais, especialmente Ajlun, que é mais afastado. Em todo caso, em Jerash há guias no próprio local, então você teria que providenciar somente o transporte mesmo. No Castelo de Ajlun não há guias locais.

As ruínas de Jerash

Marido já conhecia a Jordânia, inclusive Jerash, e de lá havia gostado (vou me abster de falar sobre o resto do país na visão dele). Bom, isso era um ótimo sinal que eu iria gostar também, já que eu sou mais “fácil de agradar”, especialmente se você disser que tem ruínas no meio. Lá não tem apenas algumas ruínas, mas é literalmente uma cidade inteira de ruínas romanas, super bem conservadas!

Ruínas de Jerash.

Ruínas de Jerash. Foto: arquivo pessoal

Com ocupação humana registrada há pelo menos 6,5 mil anos, a cidade teve seu auge durante o domínio romano. A dominação romana seguiu até o século VII, quando o Império Persa e depois conquistadores muçulmanos impuseram sua força no local. No século VIII um grande terremoto danificou profundamente a cidade, levando lentamente a seu declínio e abandono. Jerash só foi redescoberta no início do século XIX por um alemão, que encontrou parte das ruínas. Na época, quase tudo estava debaixo de terra e areia, o que permitiu a incrível preservação da arquitetura. (Fonte: G1 Turismo e Viagem).

A cidade possui templos romanos, igrejas e mesquitas, retratando os diferentes tempos de ocupação e a religiosidade sempre muito presente. O contraste entre as ruínas bem conservadas e a cidade atual de Jerash é muito interessante. Estima-se que 80% da cidade ainda não foi escavada.

arco de adriano jerash

Arco de Adriano em Jerash. Foto: arquivo pessoal

visitar jerash

Ruínas de Jerash. Foto: arquivo pessoal

hipodromo jerash

Hipódromo de Jerash. Foto: arquivo pessoal

Ruínas de Jerash.

Foto: arquivo pessoal

plaza oval jerash

Plaza Oval em Jerash. Foto: arquivo pessoal

O guia local que nos acompanhou sabia tudo a respeito da história de Jerash. Isso porque ele nasceu na cidade (não nas ruínas, obviamente, mas na cidade atual) e as ruínas eram o seu “quintal”, onde ele passou a infância inteira brincando e procurando moedas romanas. Ele nos levou aos 4 cantos de Jerash e foi muito paciente explicando tudo e esperando para que eu tirasse minhas 456 mil fotos.

Uma das partes mais legais que achei  de Jerash foi o Teatro Sul, que além de super bem-conservado, possui uma acústica super interessante, de onde de um ponto central específico, nossa voz é projetada com perfeição a toda a plateia. O eco retorna até nós e ouvimos nossa voz com uma vibração super interessante. Além disso tem outros “truques” de acústica no local, mas não vou contar tudo para deixar como surpresa a vocês! Enquanto estávamos lá, dois músicos apareceram e fizeram apresentações pra gente! Foi incrível! Vale muito a pena conhecer esse lugar.

teatro sul jerash

Teatro Sul de Jerash. Foto: arquivo pessoal

teatro sul jerash

Teatro Sul. Foto: arquivo pessoal

teatro sul jerash banda

Com a banda no Teatro Sul. Foto: arquivo pessoal

turismo jerash

Palco Teatro Sul. Foto: arquivo pessoal

teatro norte jerash

Teatro Norte de Jerash. Foto: arquivo pessoal

teatro jerash

Teatro Norte de Jerash. Foto: arquivo pessoal

conhecer jerash jordania

Teatro Norte. Foto: arquivo pessoal

O outro Teatro Norte também é muito bem conservado e não à toa esses dois teatros ainda são utilizados nos dias de hoje para espetáculos. Nosso guia nos contou, rindo muito, que algum tempo atrás esses espaços eram utilizados por criadores de cabras, que deixavam os bichos “guardados” no local. Daí, hoje em dia, quando ele vê os famosos e pomposos shows que acontecem nesses palcos, não pode evitar lembrar das cabras que estavam ali anteriormente. Ri junto com ele enquanto imaginava a cena, olhando para o disputado espaço.

templo artemis jerash

Templo de Artemis, Jerash. Foto: arquivo pessoal

templo artemis jerash

Templo de Artemis, Jerash. Foto: arquivo pessoal

ruinas romanas jerash

Templo de Artemis, Jerash. Foto: arquivo pessoal

jerash terremotos

Colunas de Jerash: arquitetura que resistiu ao tempo. Foto: arquivo pessoal

sao cosme e damiao jerash

Igreja de São Cosme e Damião, Jerash. Foto: arquivo pessoal

rua romana

Jerash, rua romana. Foto: arquivo pessoal

jerash jordania

Jerash. Foto: arquivo pessoal

jerash ruinas romanas

Jerash. Foto: arquivo pessoal

jerash ruinas romanas

Jerash, Jordânia. Foto: arquivo pessoal

rua romana jerash

Rua romana em Jerash. Foto: arquivo pessoal

jerash

Jerash. Foto: arquivo pessoal

O Castelo de Ajlun

Segundo o site Visit Jordan:

O Castelo de Ajlun, cujo nome formal é Qal’at Ar-Rabad, é o principal monumento antigo na região de Ajlun. Sobranceiro às verdes colinas, pode ser avistado a quilômetros de distância, denunciando os seus fins estratégicos como posto de vigia militar que protegia as rotas comerciais nos séculos XII e XV. Foi mandado construir em 1184 por um dos generais de Saladino, Izzeddin Usama Mungidh, para repelir a ameaça dos Cruzados na Jordânia do norte (os Cruzados já tinham ocupado a zona sul da Jordânia a partir dos seus imponentes castelos em Shobak e Karak e foram expulsos da Transjordânia em 1188/1189). O Castelo de Ajlun foi ampliado em 1214, a configuração que sobreviveu até aos dias de hoje.

O Castelo é um dos exemplos da arquitetura militar medieval árabe e islâmica mais bem preservados e acabados. As suas principais características são: fosso seco, ponte levadiça na entrada principal, porta de entrada fortificada (com decorações de pombos esculpidos na pedra), enorme torre a sul e outras torres em todos os lados. O Castelo tem um labirinto de passagens secretas, escadarias em caracol, longas rampas, salas gigantescas onde se serviam as refeições, dormitórios e estábulos, 11 cisternas de água no total e os aposentos privados do senhor do castelo (com uma pequena banheira de pedra e janelas retangulares que se convertem em frestas para fins defensivos).

castelo ajlun mouro

Entrada do Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

castelo ajlun jordânia

Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

castelo jordânia

Interior do castelo. Foto: arquivo pessoal

castelo ajlun

Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

o que fazer jordânia

Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

museu castelo ajlun jordania

Museu no Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

turismo jordania

Castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

ruinas castelo ajlun

Castelo Ajlun. Foto: arquivo pessoal

região castelo de ajlun

Vista a partir do castelo de Ajlun. Foto: arquivo pessoal

Não é todo dia que temos a oportunidade de visitar um castelo da época das Cruzadas, no caso, utilizado pelos Mouros, mais bem conservados da história. Eu e marido nos impressionamos com a estrutura desse castelo e certamente recomendamos a visita. Eles fizeram um bom trabalho de restauração do lugar, possibilitando aos turistas visitar muitos espaços, dentro e fora do castelo. Há um pequeno museu lá dentro também. Vale a pena a visita? Sim. Especialmente porque, como já comentei, a região é muito linda, a vista do alto do castelo é belíssima e é muito pertinho de Jerash.

***

Mais uma vez, fica o reforço: vale a pena conhecer Jerash e o Castelo de Ajlun? Vale, muito! Se você tiver 1 dia inteiro, dá para fazer como nós e conhecer essas duas atrações mais a Citadel em Amã no mesmo dia. Ter um motorista para te levar nos lugares também otimiza o seu tempo. Caso tenha que escolher apenas entre 1 dessas duas atrações desse post, eu dou prioridade à Jerash, porque é realmente imperdível! Aproveitem as dicas e boa viagem!

Outros artigos da Jordânia aqui.

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress