03 de julho de 2017

Quênia: 3 dias em Nairóbi

Nem nos meus mais distantes sonhos achei que fosse conhecer o Quênia. Até não muito tempo atrás, a única referência que tinha do país era sobre os corredores quenianos que sempre ganham as maratonas no Brasil. Depois, aprendi que o Quênia é a casa dos masai, um grupo étnico seminômade conhecido por preservar bem a sua cultura. Vindo para Abu Dhabi, descobri que a Etihad, a companhia aérea local, faz voos diretos para Nairóbi, a capital queniana. E, se antes não era nem um sonho remoto, hoje é uma oportunidade e tanto para conhecer um dos países mais bonitos e interessantes do continente africano!

ol pejeta quênia onde ir

Ol Pejeta Conservancy, Quênia. Foto: arquivo pessoal

Por que Nairóbi?

Me perguntaram muito isso quando disse que estava viajando para lá. “Mas por que Nairóbi?”. “Não é quente demais?”. “É perigoso?”. Engraçado que se você diz que tá viajando para o Japão, ninguém questiona a sua escolha, mas se resolve conhecer um país africano, aí a indignação e surpresa são comuns. Isso porque muitos ainda têm medo da África, medo da violência, medo das doenças ou, o que é ainda mais triste, apenas uma imensa falta de interesse.

Não vou ser hipócrita e dizer que também nunca pensei assim. Mas já passou, Graças a Deus. Ou graças a Aswan, uma cidade no sul do Egito. Explico:

Eu já tinha ido à África, ano passado, em dezembro, quando visitamos o Egito. Sim, ele tá lá no continente africano, mas querem saber? Não parece África. Nem a dos livros e filmes, nem a da realidade. Egito tá mais para Oriente Médio mesmo, embora a sua localização geográfica. Entretanto, em Aswan, ou Assuã, a cidade às margens do Nilo considerada “a porta de entrada da África”, mais especificamente na Vila Núbia, tive um vislumbre do que seria viajar para a África “de verdade”. Amei Assuã e, aí, amei a África. Precisava voltar.

vila núbia rio nilo egito áfrica

Vila Núbia em Assuã, Egito. Foto: arquivo pessoal

O outro capítulo dessa história aconteceu em março, quando soube do feriado que teríamos em junho (Eid Al Fitr). Como todo viajante compulsivo que se preze, fui pesquisar passagens e destinos para conhecer nessa época. Primeiro, olhei quais países estariam com o clima bom; depois, olhei os preços das passagens. Queríamos que fosse um lugar perto, que não fosse Oriente Médio e que o voo fosse direto, já que seriam apenas 3 noites.

Sair de Abu Dhabi não é barato para lugar nenhum. Como tínhamos algumas milhas da Etihad, olhei pelo site da cia aérea os destinos que conseguiríamos ir utilizando-as. Dentre as opções que surgiram, Nairóbi me interessou mais. Me lembrei de Assuã e senti um imenso desejo de voltar à África, mesmo que por tão pouco tempo. Estava decidido: iríamos para Nairóbi. Emitimos os bilhetes utilizando milhas e completamos um pouco. Financeiramente, valeu muito a pena.

como chegar nairobi

De Abu Dhabi a Nairóbi de Etihad Airways. Foto: arquivo pessoal

3 dias em Nairóbi é suficiente?

Eu tinha certeza que seria uma viagem corrida, mas estava disposta a encarar o desafio mesmo assim. Por sorte, Nairóbi é uma capital servida de um Parque Nacional de Nairóbi a apenas 7 km do centro da cidade! E não é um parquinho “mixuruca”: o lugar tem hipopótamos, girafas, zebras, búfalos, leões, rinocerontes etc. Dos “Big 5”, só não tem leopardo e elefante. Além disso, há um orfanato de elefantes e um santuário de girafas na periferia da cidade. Basicamente, em Nairóbi, durante apenas uma manhã, você poderá ver os maiores mamíferos da África!

parque nacional nairobi quenia animais mamíferos

Parque Nacional de Nairóbi e a cidade ao fundo. Foto: arquivo pessoal

A capital em si não possui muitas atrações turísticas. Nós fomos apenas ao National Museums of Kenya, um complexo que tem um museu sobre a história do país, um parque de cobras e outros répteis e um pequeno jardim botânico. Ao contrário das outras atrações de bichos, ele fica no meio da cidade. Se tiver um tempinho por lá, acho que vale a pena incluir! Falarei mais a respeito em outro artigo.

museu nacional nairobi quênia o que fazer nairobi

Museu Nacional de Nairóbi, Quênia. Foto: arquivo pessoal

Teríamos, no total, 1 tarde e 2 dias inteiros na cidade. Durante 1 dos dias inteiros iríamos conhecer o Parque Nacional, os elefantinhos, as girafas e outras atrações na periferia de Nairóbi. Para o outro dia inteiro tínhamos VÁRIAS opções de safáris e lugares para fazer um bate-volta. Depois de muito pesquisar, escolhi o Hell’s Gate e Lake Naivasha, mas aí, quando já estava para reservar o tour, marido cismou que queria ir no Ol Pejeta, uma reserva e centro de conservação de rinocerontes, que fica beeem distante de Nairóbi. Não sem muita discussão, acabei cedendo para fazer um ponto: é muito cansativo fazer esses bate-voltas quando temos pouco tempo no lugar. Ele tá concordando comigo agora (Rá!).

rinoceronte negro cego barack ol pejeta quênia

Marido alimentando o Barack, o rinoceronte negro cego de Ol Pejeta. Foto: arquivo pessoal

Mas então, respondendo à pergunta inicial, 3 dias são suficientes, sim, para conhecer Nairóbi e o entorno. Vai dar para ver cidade, cultura, museus e, o principal, bichos! O passeio para o Parque Nacional e as outras atrações da cidade são obrigatórios, caso você esteja hospedado em Nairóbi. Se ficar por 3 dias também, terá 1 outro dia para escolher qual passeio quer fazer. Algumas opções que pesquisei: Ol Pejeta, Hell’s Gate e Lake Naivasha, Lake Nakuru, Maasai-Mara, Amboseli (Kilimanjaro). Jogue no Google e veja o que te agrada mais 🙂

Nosso roteiro de 3 dias em Nairóbi

Dia 1: Chegamos a Nairóbi às 13:05, depois de um voo tranquilo de 5h direto a partir de Abu Dhabi; Fomos para o hotel, fizemos check-in, almoçamos lá mesmo; Fomos para o National Museums (fecha às 17:30). Noite em Nairóbi.

Dia 2: Contratamos um tour para esse dia. Começamos pelo National Park; depois fomos para o Giraffe Centre; depois para o orfanato de elefantes; almoçamos; passamos na lojinha de artesanato; fomos para a casa/museu da Karen Blixen; depois para o Bomas of Kenya. Passamos em um shopping, tomamos café e fomos para o hotel. Noite em Nairóbi.

Dia 3: Também contratamos um tour para esse dia. Viajamos por 4h até Ol Pejeta. No caminho, paramos em uma loja de artesanatos e na Linha do Equador. Em Ol Pejeta, fizemos safári pela manhã, almoçamos no Sweetwaters Serena Camp, fomos no centro de conservação de chimpanzés, dentro da reserva; depois voltamos para casa, mais longas 4 horas de estrada. Noite em Nairóbi.

Dia 4: Tomamos café no hotel e depois fomos para o aeroporto. Voo para Abu Dhabi às 14:05.

aeroporto nairobi quênia

Aeroporto de Nairóbi, Quênia. Foto: arquivo pessoal

Foi curto? Foi. Mas foi proveitoso. Embora a minha resistência em ter ido para Ol Pejeta, pela distância, não posso negar que o lugar é único! Se você é fã de rinocerontes, é pra lá que deve ir! Até tivemos a oportunidade de tocar em um! <3

É claro que você não vai sair do Brasil para ficar só 3 dias no Quênia, mas se você já mora a uma distância de 5h, como nós atualmente, vale muito a pena encaixar em um feriado! O ideal é ficar muito mais que isso, ter tempo para visitar todos aqueles lugares que dei como sugestão, ficar acampado nas reservas (especialmente a Amboseli, para ver o Kilimanjaro!). Junho é a época perfeita para visitar o Quênia: o clima é friozinho e há “a grande migração” no Massai-Mara. Conhecer melhor a tribo dos masai, e outras também, é imperdível!

girafa nairobi especie ameacada quênia

Giraffe Centre, Nairóbi. Foto: arquivo pessoal

Há tanta coisa ainda para ver no Quênia… 3 dias foram só a “entrada”, ainda tenho fome de muito mais coisa de lá! Espero que não demore muito a voltar e que da próxima vez possa aproveitar sem pressa. De todo jeito, sou imensamente grata pela oportunidade de ter ido “ali” na África, visto animais incríveis em seu habitat natural e ter entrado um pouquinho em contato com uma cultura tão linda, como a africana. Mal posso esperar para voltar à Mãe África e ver muito mais! Enquanto isso, vou me contentando com a divulgação dos artigos para vocês. Quem sabem não os inspiro a irem conhecer também? Beijo grande e até logo.

p.s. Os animais em cativeiro que vocês viram nesse post estão abrigados em santuários que ajudam a preservar as espécies, que se encontram ameaçadas de extinção. Somos rigorosamente contra a visita a lugares que exploram animais. Pense você também a respeito disso.

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • Tamara agosto 7, 2019

    Por favor me indiquem a agência dia passeios. Não encontro nada .
    Obrigada

    • Pollyane
      Pollyane agosto 25, 2019

      Oi Tamara. Nós fechamos pelo Viator, você conhece o site? Conosco deu tudo certo!

  • Liliane Inglez dezembro 27, 2017

    Gostei muito do seu post e acabei de linká-lo!
    https://www.trilhasecantos.com.br/2017/12/a-fazenda-africana-karen-blixen-quenia.html
    um abraço!!

    • Pollyane
      Pollyane dezembro 27, 2017

      Obrigada, Liliane! Fico muito feliz que tenha chegado até o meu blog, o seu post ficou demais! Eu assisti ao filme antes de viajar (não dava tempo de ler o livro) e confesso que ir até a casa de Karen Blixen foi muito emocionante! Quando vc tiver oportunidade de ir, também vai amar! Quando fizer o post onde conto a visita eu te aviso 😉 Beijo grande

  • […] contei no primeiro artigo sobre o Quênia, foi marido quem teve a ideia e insistiu para que fôssemos para o Ol Pejeta. A minha relutância […]

  • […] Inclusive, ela foi o principal motivador para a nossa viagem à Nairóbi, que vocês podem ver aqui. Tentarei explicar – e encher vocês de fotos – o motivo pelo qual amei esse […]

  • […] contei nesse artigo, decidimos ir para Nairóbi, capital do Quênia, em um feriado em junho deste ano. Só teríamos 3 […]

  • Renata Suzart julho 3, 2017

    Demais! Adorei o post!!!

    • Pollyane
      Pollyane julho 4, 2017

      Obrigada 🙂 Acho que Memel adoraria conhecer também, hein?

  • Renata julho 3, 2017

    Amei! Esse contraste da cidade com os bichos é muito legal!

    • Pollyane
      Pollyane julho 4, 2017

      Incrível, né? Apesar de não “combinarem” achei o contraste super legal também.