16 de fevereiro de 2017

Você já pensou em comer camelo?

Este post é a prova cabal de que eu faço tudo por meus leitores! Escrevi o texto entre uma golfada e outra, porque o assunto é pesado e indigesto para quem não come carne… Espero que aproveitem as informações!

Obrigada. De nada.

Quem vem de visita ao mundo árabe já espera ansiosamente por uma foto com um camelo, ou mesmo dar uma voltinha em um. Esses animais fantásticos fazem parte do “combo arábia” que inclui também deserto, tâmaras, dança do ventre, entre outros.

camelos

Camelinhos na Jordânia. Foto: Pixabay

É certíssimo acreditar que, como turista, você encontrará tudo isso por aqui (resumida em uma atividade chamada safári no deserto), mas, você já se perguntou para onde vai tanto camelo que existe nesse deserto? Será que os bichinhos estão aí só para a sua foto belíssima, para transporte e lazer? Infelizmente, a resposta para essa pergunta pode revirar o seu estômago, mas eu vou te contar mesmo assim:

Carne e embutidos de camelo

Sim, se come camelo. E embora toda a gourmetização da carne de camelo hoje em dia, esse costume remonta tempos antigos, onde na escassez de alimentos, já se comia esse animal. A parte mais nobre do corpo do pobrezinho é o seu símbolo: sua corcunda, que é onde possui a maior reserva de gordura, consequentemente, de sabor. Mas não se enganem: há quem coma outras partes do bicho também e não é incomum que o sirvam o inteiro (isso, um camelo INTEIRO), assado, em festas de casamento, por exemplo. Foge da minha capacidade de criação mental imaginar os noivos, o bolo e um camelo inteiro assado. Detalhe: sendo comido diretamente com as mãos. Boa sorte, caso você consiga.

Hoje em dia utilizam a carne de camelo para fazer hambúrgueres, salsichas, salames, além de a utilizarem moída, em molhos bolonhesa, fatiadas etc. E onde comer camelo nos Emirados Árabes? Há vários restaurantes que servem o prato, como o Fanr, em Abu Dhabi; o Switch e a rede Cafe2go, em Dubai; e o opulento Emirates Palace, em Abu Dhabi. Nesse último, você terá uma experiência árabe 2 em 1: comer camelo com ouro. Que tal?

hambúrguer camelo ouro

Hambúrguer de camelo com ouro 24 quilates. Fonte: Emirates Palace

Leite e laban

Os camelos vêm há muitos anos alimentando não só os seus camelinhos, mas também vários árabes e, ultimamente, turistas e expatriados. O leite de camelo possui menos gordura que o leite de vaca, além de ser mais próximo ao leite humano do que esse outro. É rico em nutrientes, ajuda no fortalecimento do sistema imunológico, entre vários benefícios. Por aqui, ele é consumido na forma de leite ou laban, que é uma bebida láctea tipo coalhada, meio azeda, meio salgada.

É bem fácil de encontrar leite ou laban de camelo nos supermercados aqui do país. O preço é bastante acessível também, já que o “recurso” é abundante. Assim como em outras partes do mundo temos o leite com sabor, aqui encontramos leite de camelo com tâmaras (outra experiência 2 em 1), chocolate, morango, cardamon… Veja outros produtos com o leite desse mamífero nos site das marcas Camelait e Camelicious.

leite camelo

Homem bebendo leite de camelinho. Foto: CC

Queijos

Se há leite, há também queijo derivado de camelo. As opções incluem os tipos nabulsi (queijo branco, retangular, semi-rígido e muito salgado); akkawi (queijo macio, textura suave e um leve sabor salgado); e queijo branco tradicional que se assemelha ao queijo cottage.

Guloseimas

Uma forma “divertida” de provar produtos à base de camelo nos Emirados Árabes é com o chocolate ou o sorvete. As mesmas marcas já citadas têm alguns sabores de sorvete para você testar; e a marca Al Nassma faz os melhores chocolates (dizem) de leite de camelo. Pode ser um ótimo souvenir, hein? Mas aí cabe a você contar ao presenteado a origem do chocolate antes ou depois que ele provar.

Dica: Se você quer ir além e misturar todas as experiências em uma só, vá ao Emirates Palace, em Abu Dhabi, coma o hambúrguer de camelo com ouro; depois, tome o “camelccino“, que é um capuccino feito com leite de camelo, acompanhado de chocolate de camelo e tâmaras.

camelccino emirates palace

Camelccino. Foto: Emirates Palace

***

Eu, pessoalmente, nunca provei nada mencionado acima. Já parei de comer carnes há um tempo (o que inclui camelos… Rs.) e os outro produtos eu já tive oportunidade de provar, mas faltou coragem. E você, já provou algum? Gostou? Deixe nos comentários que eu vou adorar ou talvez não saber da sua experiência.

 

Inspiração: The National

confira os posts relacionados

Comente via Facebook

Comente com o WordPress

  • […] Para ver outras formas de provar “camelo”, inclusive no Emirates Palace, veja este artigo. […]

  • Erik março 22, 2017

    Olha, eu também não sabia que comiam até ir para marrakech, onde um amigo pediu um tajine de caMelo, eu não tive coragem de pedir, mas experimentei o dele, a carne realmente é saborosa! Valeu a experiência!

    • Pollyane
      Pollyane março 22, 2017

      Oi Erik! Bom, ainda bem que gostou, então! Acho que muito disso é uma questão cultural, estamos acostumados a torcer o nariz. Admiro quem consegue superar isso e provar, como vc! hehe. Obrigada pela visita.

  • Pelcio Ricardo de Almeida fevereiro 18, 2017

    Sinceramente, eu não sou adepto do veganismo, nem to vegetarianismo, porém minha dieta é bem reduzida de carne vermelha, e muitas vezes prefiro carne branca. contudo, fica complicado acreditar que em várias partes do planeta pessoas consumem carnes de outros animais que não as que estamos acostumados.
    Não consigo emitir um parecer, pois acredito que existam muitos aspectos culturais, assim como não comemos abacate com sal, eles possuem o deles.
    Não me soam bem alguns, inclusive algumas caretas me vieram ao ler o artigo por imaginar.

    Muito , muito bom mesmo o artigo.

    • Pollyane
      Pollyane fevereiro 24, 2017

      Oi Pelcio, obrigada pelo seu comentário. Sim, claro, há muitas questões culturais envolvidas, mas isso não “facilita” o fato de que a comida ainda nos é estranha. Também fiz várias caretas enquanto escrevia o artigo.. hehe. Beijo grande e obrigada pela visita.

  • Contramapa fevereiro 17, 2017

    Sinceramente, acho que isso é apenas uma questão de perspectiva. Nós comemos ovelha, vaca, porco, galinha e tudo e tudo e tudo. Porque não camelo?! Eu não fico chocada, sinceramente! Também não fico chocada que na China se coma cão. É tudo uma questão cultural.

    • Pollyane
      Pollyane fevereiro 18, 2017

      Mesmo já não comendo carne (nem de velha, nem vaca, nem porco e nem galinha) também compreendo a forte influência cultural nessa questão de comer camelo. Um exemplo é o camelo inteiro assado servido em casamentos. Não é por falta de outros recursos (hoje em dia), mas uma cultura ligada a esse hábito. Desde que cheguei aqui não me “choco” com isso, mas também não me sinto confortável provando. Para muitos turistas, isso também se repete: mesmo sabendo que faz parte da cultura local, eles não sentem vontade de provar – a barreira psicológica é muito grande.
      Quanto a comer cães, também sabemos que é algo cultural, e não ligado à necessidade por esse “alimento”. Nesse caso, para mim, é provavelmente uma barreira que não irei quebrar durante esta existência. Não é porque faz parte de uma cultura alheia que preciso me acostumar a ela, ou concordar, ou admirar, ou não me importar.
      E extrapolo esse pensamento para outras áreas, como o próprio hábito de maltratar/caçar animais, de exploração infantil, de subjugação da mulher, de uso inadequados dos recursos naturais etc. Já tive contato com culturas muito diferentes da minha. Com algumas, aprendo a rever os meus valores e me tornar uma pessoa melhor; com outras, apenas tento ver como algo ainda a ser trabalhado e melhor avaliado por parte deles, não pelo meu bem estar (que é nulo aqui), mas pelo bem da coletividade e do planeta.
      Sim, é tudo uma questão cultura, mas não sinto que devo ser permissiva com tudo que vejo sob esse pretexto.

  • Viajante Móvel fevereiro 17, 2017

    Nunca provei carne de camelo e acho que não provaria. Minha única experiência com camelo foi exatamente num safari no deserto que fizemos em nossa viagem para Dubai.

    • Pollyane
      Pollyane fevereiro 18, 2017

      Pois é, imagina sair da experiência do camelo no safári para o camelo na mesa? hehe. É um grande salto! Espero que tenha gostado de Dubai! Beijo grande e obrigada pela visita.

  • Christian Gutierrez fevereiro 17, 2017

    Nossa nunca pensei em comer carne de camelo, acho que debe ser igual a carne de cavalo.

    • Pollyane
      Pollyane fevereiro 18, 2017

      Oi Christian! Sabe que eu não faço ideia? Será que se parece com cavalo? Eita… Bom, se provar algum dia, me volta aqui pra contar! Obrigada pela visita e pelo comentário.

  • Renata Suzart fevereiro 17, 2017

    Que post ótimo! Super interessante e com infos preciosas para quem tiver interesse em provar essa iguaria!

    • Pollyane
      Pollyane fevereiro 18, 2017

      Fico feliz que tenha gostado, Suzart! Agora já sabe onde levar suas visitas quando elas quiserem provar camelo… hehe. Beijo grande!

  • Renata fevereiro 16, 2017

    Excelente post! Eu provei o chocolate de camelo pois me disseram que não tem tanta Lactose como o leite de vaca (mas não sei dizer, pois estava em árabe a embalagem). Provei o leite puro de camelo também e achei horrível, forte e diferente de tudo. Mas ja não gosto de leite de vaca, imagine de Camelo.

    • Pollyane
      Pollyane fevereiro 18, 2017

      Oi Renata! Pois é, seu problema com leite não se restringe só à vaca, né? hehehehe. Pelo menos teve coragem de provar, te admiro! O chocolate pode ser que eu prove um dia.. Veremos 😛 Obrigada pela visita e pelo comentário.